Selos postais da República Saarauí / RASD - Acervo de Selos

Selos postais da República Saarauí / RASD

A página mostra alguns selos postais da República Árabe Saarauí Democrática (RASD).  
Estes selos são considerados cinderelas, ou seja, sem valor legal. Os selos são emitidos pelo governo para fins de propaganda.

Selo Árvore-do-amor
Árvore-do-amor
A árvore-do-amor ou árvore-de-judas de nome científico Cercis siliquastrum é o destaque da República Árabe Saarauí Democrática ou Saara Ocidental.
A árvore tem tamanho médio, folhas em forma de coração e flores cor-de-rosa que crescem diretamente no tronco e nos galhos.
Os textos do selo são Correos 1992, Sahara Occ. R.A.S.D., Cercis siliquastrum. 
10 ptas
Data: 1992

Planta Jade
O selo de 1992 da República Árabe Saarauí Democrática ou Saara Ocidental destaca a planta ornamental Jade. Ela também é conhecida como Árvore-da-amizade, Bálsamo-de-jardim, Crásula-ovata,  planta-jade, planta-de-jade, etc.
A planta é uma espécie de suculenta com ramos e caule robustos, curtos e retorcidos, conferindo à planta um aspecto envelhecido. Lembra um bonsai quando plantada em vasos, pois torna-se uma árvore em miniatura.
As folhas têm uma bela cor verde-jade e as flores são perfurmadas. Floresce no inverno e na primavera com numerosas flores estreladas de cor branca ou rosa.
Os textos do selo são Correos 1992, Sahara Occ. R.A.S.D., Crassula argentea. 
10 ptas
Data: 1992
Tamanho: 25 x 31,5 mm


Selo Abutre de cabeça branca
Abutre de cabeça branca
O Abutre de cabeça branca de nome científico Trigonoceps occipitalis é o destaque do selo da República Árabe Saarauí Democrática ou Saara Ocidental. Ele também é conhecido como Urubu de cabeça branca.
A cor da cabeça é predominantemente branca e onde não há penugem a coloração é rosada da pele. Nas costas e nas asas as penas são pretas e quanto mais próximo dos pés e da extremidade inferior das asas se mesclam com penas brancas.
Essa espécie de abutre vive no continente africano, nas regiões de savanas, e poder ser avistado pousado nos galhos das árvores Baobás. Os abutres se alimentam do corpo de animais em decomposição que podem espalhar doenças, por isso as aves têm um papel preponderante na saúde pública .
Os textos do selo são Correos 1992, Sahara Occ. R.A.S.D.,Trigonoceps occipitalis.
10 ptas
Data: 1992

Selo Avestruz
Avestruz
A República Árabe Saarauí Democrática apresenta a maior ave do planeta o Avestruz de nome científico Struthio camelus.
Caracteriza-se por ser uma ave alta, ter cabeça pequena, pernas e pescoço longo e asas atrofiadas. Essa ave não tem capacidade de voo, porém tem habilidade para corrida.
O avestruz habita áreas montanhosas, savanas e planícies arenosas desérticas.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Calhandra-cornuda-do-deserto
Calhandra-cornuda-do-deserto
A ave Calhandra-cornuda-do-deserto ou cotovia-cornuda-do-deserto de nome científico Eremophila bilopha é o destaque no selo da República Árabe Saarauí Democrática.
É um pássaro pequeno da família da cotovia e tem como característica os "chifres" na cabeça.
Este selo é considerado cinderela porque não é oficial.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Asno selvagem africano
Asno selvagem africano
O selo da República Saarauí de 1992 exibe o asno selvagem africano de nome científico Equus africanus. Esse equino habita áreas do deserto e outras zonas áridas do nordeste da África.
O Asno selvagem africano vive em manadas e durante o dia procura sombra e abrigo. Alimenta-se de grama, casca e folhas para suprir a necessidade de água. Caso a quantidade não seja suficiente ele deve beber água pelo menos uma vez a cada três dias.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Carneiro da Barbária
Carneiro da Barbária
O selo impresso na República Árabe Saarauí Democrática ou Saara Ocidental destaca o carneiro da Barbária. Ele habita zonas montanhosas, terrenos acidentados e zonas semiderséticas. Possui coloração arruivada e obtém a água dos alimentos que consome e do orvalho.
Os textos do selo são Correos 1992, Sahara Occ. R.A.S.D., Arruit e Ammotragus lervia.
10 ptas
Data: 1992

Selo Feneco, 1992
Selo Feneco
O selo de 1992 da República Saarauí exibe o Feneco de nome científico Vulpes zerda, anteriormente Fennecus zerda.
Ele vive em regiões desérticas, semidesérticas e montanhosas.
Essa pequena raposa do deserto, de hábitos noturnos, tem excelente visão que lhe permite atacar rapidamente roedores, aves e répteis.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Chacal-listrado
Chacal-listrado
O selo da República Saarauí de 1992 exibe o Chacal-listrado de nome científico Canis adustus. É um canídeo de porte médio, com pelo acinzentado, ponta do rabo branca e uma listra de cada lado do corpo. Também possui focinho longo, cauda curta e espessa e pernas longas. À noite, os chacais uivam para se comunicar entre si.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Órix Cimitarra
Órix Cimitarra
O antílope Órix Cimitarra de nome científico Oryx dammah é o destaque da República Saarauí. Esse animal possui longos chifres curvados para trás e vive em manadas.
É um herbívoro adaptado as areais do deserto com cascos grandes e largos que impedem que se enterrem nas areias mesmo sendo um animal pesado.
Outra característica é sobreviver longos períodos sem água por ter a capacidade de suprir a necessidade de líquido através dos alimentos. Portanto, só bebe água quando encontra.
10 Ptas
Data: 1992

Selo Abetarda-moura
Abetarda-moura
O selo de 1998 da República Saarauí exibe a ave Abetarda-moura ou Abertarda Africana de nome científico Chlamydotis undulata. Abetardas são aves de grande porte com pernas e pescoços longos. Elas sobrevivem sem beber água por períodos muito longos, por isso conseguem viver em ambientes áridos e quentes como o deserto do Saara.
O carimbo é do ano de 1999 e os textos  são Correos 1998, Republica Saharaui e Chlamydotis undulata.
28 Ptas
Data: 1998

Selo Ave corredor
Ave corredor
A ave corredor de nome científico Cursorius cursor é o destaque do selo da República Árabe Saarauí Democrática, também conhecida como Saara Ocidental.
Caracteriza-se pelas pernas compridas, plumagem na cor castanho-clara e lista supraciliar bicolor, branca e preta
É uma ave elegante e alta, usa as pernas longas para correr por áreas desérticas e semi-desérticas, com a cabeça levantada. Ela vive nos desertos secos do norte da África e da Arábia.
Os textos do selo são Correos 1998, Republica Saharaui, Cursorius cursor. 
68 ptas
Data: 1998


Selo Dromedário
Dromedário
O selo da República Saarauí de 1998 exibe o Dromedário, também conhecido como camelo arábe, de nome científico Camelus dromedarius. Caracteriza-se por aguentar temperaturas extremas e por ficar dias sem beber água. Ele também é usado como meio de transporte em regiões desérticas justamente por sua resistência e rapidez.
28 Ptas
Data: 1998

Selo Feneco
Vulpes Zerda
O Feneco de nome científico Vulpes zerda, anteriormente Fennecus zerda, é o destaque da República Saarauí. Essa pequena raposa vive em regiões desérticas, semidesérticas e montanhosas.
Os fenecos têm orelhas grandes e desproporcionais com relação ao resto do corpo. A função delas é dissipar o calor corporal e possibilitar sua incrível audição. Portanto, ao mesmo tempo que o feneco consegue se manter fresco, ele também é capaz de ouvir insetos cavando sob o chão do deserto.
Outra característica importante é o pelo, a coloração creme permite a camuflagem na areia e os pelos que cobrem as patas têm a função de proteger os dedos das areias quentes.
110 Ptas
Data: 1998
Denteação: 12½ x 12¼

Selo Jerboa egípcio
Jerboa egípcio
O Jerboa egípcio de nome científico Jaculus jaculus é o destaque deste selo da República Saarauí. Os jerboas egípcios possuem orelhas longas, rabo comprido com tufo de pelos que funciona como um leme e pernas traseiras alongadas. Movimentam-se com muita agilidade e saltam como um canguru.
Vivem em buracos e só saem da toca à noite evitando o calor do dia. Para suprir a necessidade de água se alimentam principalmente de sementes, algumas raízes e pequenos insetos.
29 Ptas
Data: 1998


Selo Jerboa marsupial
Jerboa marsupial
O selo de 1998 da República Saarauí exibe o Jerboa marsupial de nome científico Antechinomys laniger. Os jerboas marsupiais possuem orelhas salientes, pernas traseiras alongadas e membros superiores curtinhos que ficam escondidos em meio à pelagem do animal.
Se locomovem saltando e assim evitam o contato prolongado com as areias quentes do deserto e das regiões áridas onde vivem. São animais mais ativos à noite.
Se alimentam principalmente de sementes e pequenos insetos, de onde tiram toda a água de que precisam, e por isso não bebem nenhum líquido.
136 Ptas
Data: 1998


Nenhum comentário